quinta-feira, 7 de maio de 2009

Caranguejada

Há programas que só se faz quando se é íntimo, comer caranguejo, por exemplo.

Já pensou, você, toda elegante, no salto alto, com um terninho básico, saindo pra um almoço de negócios com um cliente e no cardápio: caranguejo!? Não rola! Primeiro que você se concentra mais no martelinho do que no cliente, depois, pode dar adeus as suas etiquetas, elas não serão suficientes pra impedir que você se mele.

Imaginemos então outra hipótese, você tá paquerando com aquele menino, aquele sabe, que você não vê a hora de receber o convite pra sair? Então, no primeiro encontro ele te chama pra comer caranguejo! Eu, se fosse você, inventava alguma desculpa, uma alergia repentina e de curta duração (ninguém quer ficar sem comer caranguejo por muito tempo), dizia que não gostava muito do lugar, ou coisa do tipo... Mas, imaginemos que você, ingenuamente, concordou.

Primeiro: dê adeus a sua maquiagem, certamente ela irá embora com a primeira patola que irá a sua boca.

Segundo: sabe aquele perfume francês que você comprou em muitas prestações e que só usa em ocasiões especiais (como sair com o boyzinho que você está afim)? Não use! O cheiro dele misturado com o do caranguejo não será nada agradável, aliás, qualquer cheiro, porque, esteja certa, você sairá exalando o doce perfume do caranguejo, e ele também! Então, todas as suas expectativas de assistir um filminho depois é melhor ir por água abaixo...literalmente, porque, certamente, é melhor ir pra casa tomar banho.

Terceiro: já se imaginou quebrando um caranguejo com os dentes? Porque, mesmo com o martelinho, você usa todas as artimanhas, inclusive os dentes, pra tirar aquela carninha deliciosa da pata do bicho. E nem adianta dizer que não usa, porque, qual mortal não se desliga do mundo ao saborear caranguejo? Então, já se imaginou? NINGUÉM consegue impressionar alguém com essas mordidinhas! Nem se fosse Angelina Jolie... tá, talvez se fosse Angelina Jolie...

E a mão lambusada? Mão, boca, rosto... e se você for como eu, até no cabelo se vê a prova do crime.

Ah... e a chupadinha? Aquela que você dá pra pegar mais carne e também aquele caldinho de coco. Por que qual é a graça de comer caranguejo sem isso?

E, por fim, já se viu mais anti-social do que quando está comendo caranguejo? Todos os seus olhares estão nele, fazendo os cálculos precisos de qual melhor ângulo para quebrar a casca e conseguir mais carne. Além de achar um saco, quando alguém, ousadamente, te interrompe enquanto você saboreia a patola, então, rapidamente você responde algo que corte a conversa e mais uma vez se volta para o prato, afinal, ele é muito mais interessante!

Sendo assim, se alguém te convidar pra comer caranguejo, fique feliz, vocês são íntimos. Íntimos o bastante pra não se importar com situações embaraçosas que essa comida pode oferecer... E, caso seja seu primeiro encontro, sugira comida chinesa! O risco é bem menor...

Só não se enrole com os palitinhos... rsrsrs.

Em homenagem a Clarinha e as nossas muitas divagações, enquanto saboreavamos caranguejos.

3 comentários:

Leila M. disse...

Bichinho, concordo com vc, existem certas coisas que só com intimidade para fazer,como comer manga e milho!Hauhauahuahauh!Sem dúvidas qndo se chama alguém para comer caranguejo é pq a pessoa já é de casa!Adorei o texto, espero em breve degustar uma caranguejada contigo também,bjoz

Jéssica Régis disse...

Muracuremos, em breve, leilinha =D

Beijos

Jonatas disse...

garotinha,depois de eu já ter mandado o link desse texto pra milhares de pessoas, e de já ter te dito pessoalmente o quanto esse texto é interessante e o quanto eu gosto dele acho que é necessário alguma consideração no blog. Adoro esse texto talvez pela percepção engraçada que ele tem de coisas, às vezes, tão corriqueiras entre amigos como a caraguejada... ah, tbm gosto muito do estilo (seu) de escrita. Parabéns!